Textículos aleatórios

Textículos aleatórios publicados em alguma rede social alheia.

Anúncios
a persistência da memória - salvador dali

Perguntei para o tempo quanto tempo o tempo tem. “Todo o tempo do mundo”, ele disse. Quanto tempo tem o mundo? “Todo o tempo que o tempo tem”.

.

O ser consciente é capaz de ver o mundo e as pessoas, mas incapaz de ver a si mesmo. A consciência não nos revela, mas nos oculta.

.

Você jamais vê a própria boca ao comer, no entanto, poucas vezes comete o equívoco de errar o alvo ao levar, na colher ou garfo, a comida à boca.

.

Você convive consigo mesmo durante toda sua vida. Entretanto, seu rosto é o único rosto que você jamais verá pessoalmente sem a ajuda de qualquer meio de reflexão ou fotografia.

.

A igreja cristã (falo desta porque é a que conheço) chama de missão invadir povos de outras culturas para impor e implantar sua crença. A verdade, porém, é que o que chamam de missão é tão somente o abuso institucionalizado de uma religião que não aceita outros pensamentos e ideologias que não sejam os seus. Ao se impor uma crença como se esta fosse a única verdade, comete-se o crime horrendo de assassinato de um povo, de sua cultura e de seu passado. Se a religião vem para libertar, a liberdade deve vir pela coexistência e pelo respeito mútuo à cultura do outro.

.

Assim como ter uma religião não significa ser bom, ser ateu não é sinônimo de inteligência. Assim como há muitos religiosos sendo o pior da espécie humana, há  muitos ateus agindo de forma arbitrária e intolerante. A religião – ou sua falta – não é requisito fundamental para a ética e a moral. Moral e ética surgem a partir da compreensão do seu papel na sociedade e da consciência do espaço alheio. Ter religião não te torna mais justo, mas ser ateu não te faz melhor. O que nos torna melhores é a compreensão de que são nossas diferenças que nos tornam iguais e, por isso mesmo, diversos em todas as formas, cores e pensamentos. A crença ou sua ausência é apenas uma das várias coisas que podem tornar nossa existência tão diversa e exótica. É a capacidade de ver o mundo com outros olhos que nos permite compreender a razão de estarmos aqui. É a diferença que nos traz a unidade.

 

Autor: Pedro H.C. de Sousa

Uma sombra daquilo que um dia eu fui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s